O que é Autoconhecimento?

espelho

Fala-se tanto de Autoconhecimento, mas o que é isso?

Você se lembra quando dizia-se antigamente:  “o macaco senta no próprio rabo para falar do rabo alheio”?

Esse é um padrão normal em nós, seres humanos, que estamos em evolução.  A propósito, autoconhecimento também se trata de evolução e amadurecimento!

Nós temos uma facilidade imensa de observar o comportamento dos outros, de analisar e julgar, mas temos uma dificuldade ainda maior de observar nossos próprios padrões de comportamento.

Isso porque estamos sempre voltados para fora, para o outro e raramente fazemos o movimento inverso, de olharmos para nós próprios.  Quando somos criticados e os outros apontam nossos defeitos, rapidamente ficamos ofendidos e magoados.

No entanto, essa deveria ser a oportunidade de pararmos, analisarmos e avaliarmos se o que foi dito não corresponde à verdade sobre nós.

É extremamente doloroso esse processo – o Autoconhecimento.  Dói muito desconstruir aquela imagem que criamos de nós mesmos e admitir que somos falhos, infantis e imaturos.  Dói admitir que muitas vezes somos mesquinhos, arrogantes, egoístas. Dói reconhecer que aquilo que eu mais desprezo nos outros é o que há em mim.  Mas como assim?!?!?  Com certeza você irá dizer:

– Eu odeio mentiras, eu não suporto falsidade, eu não tolero pessoas julgadoras…

Sim, observe-se bem, seja honesto consigo e veja quantas vezes e em quantas situações você também teve esses comportamentos.

Nada do que eu digo ou escrevo é baseado em teorias, mas sim na minha própria experiência.  Sempre que eu ouvia a respeito de autoconhecimento, eu não tinha bem claro o que era isso.  Até que algumas pessoas apontaram o dedo para mim, foram cruéis, não tiveram a menor empatia.  Mas em vez de eu ficar no vitimismo, sentindo-me uma coitadinha, fiz as seguintes perguntas:  “o que há de verdade nisso que estão falando?”,  “será que elas estão certas”?

Foi muito doloroso admitir que sim, que elas tinham razão.  Foi penoso admitir que eu não era aquela pessoa legal que eu pintei um dia.  No entanto, foi o primeiro passo para eu mudar.  Somente quando um comportamento sai do inconsciente e salta para o consciente, temos condições de transformá-lo.  Assim é com qualquer sentimento, emoção ou trauma – enquanto está na caixinha preta do inconsciente, não conseguimos elaborar, mas depois que vem à tona, fica mais fácil olhar e diluir.

Mas não existe passe de mágica!  Não existe botão mágico!  Há que se ter muita coragem, muita humildade.  Há que se despir de máscaras e disfarces. Temos que abandonar os véus que usamos para tapar nossos olhos e abrir os ouvidos para ouvir o que dizem sobre nós.

Uma vez ouvi em uma palestra:  “ Aprendemos que não devemos levar desaforo pra casa.  Mas na verdade, deveríamos levar o desaforo para casa sim! Deveríamos colocá-lo para dormir ao nosso lado e observá-lo a noite toda.  Com certeza, de cabeça fria, perceberíamos que não foi um desaforo, mas sim uma indigesta verdade sobre nós.”

O que fazer quando reconhecemos um padrão de comportamento nosso, que antes não víamos?

O mais importante é termos compaixão e nos tratarmos bem nesse momento.  De nada adianta entrar no padrão da autopunição.  Temos que nos acolher amorosamente e compreender que fazíamos aquelas coisas ou éramos daquele jeito porque não sabíamos fazer ou ser diferente.  Foi o que nos ensinaram, foi como a vida nos moldou.  Está tudo certo!  Agora é hora de pedirmos perdão a quem magoamos com nossas palavras ou atitudes e de pedirmos perdão a nós mesmos por termos nos maltratado tanto. É hora de arregaçarmos as mangas e começarmos, baseados nessa dolorosa experiência, a construir um novo ser.  Adotar atitudes diferentes, estar sempre atentos para não recairmos nos velhos padrões.  Nesse momento temos que estar em constante vigília para não retrocedermos.

Isso é autoconhecimento!  Isso é maturidade!  Isso é humildade!  Isso é evolução: reconhecer nossas mazelas, olhar de frente para elas, nos perdoar e nos esforçar para fazer diferente!

Muitas vezes precisamos de auxílio de profissionais – terapeutas, analistas, produtos vibracionais, como as essências Cristais de Oz para darmos conta desse processo.

Não tenha vergonha de pedir ajuda.  Eu pedi, fui auxiliada e sou extremamente grata.

Rossana Bentivoglio

Terapeuta Energética e Facilitadora do Sistema Cristais de Oz

(16) 99102-9302 – Atendimentos Presenciais e à Distância.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s